Archive for April, 2010|Monthly archive page

11 tipos de pessoas que vão ao Shopping

O Shopping teoricamente é um lugar público,  e por isso, acho que acaba sendo um reflexo da sociedade, pois é onde encontramos diversos tipos de pessoas, e eu quis descrever 11 desses tipos aqui.

Emos – Bom, pra que não sabe emos, resumindo, são aquelas pessoas que costumam andar de preto, roupas coladas, os garotos costumam alisar o cabelo e usar franjas, têm tendência a serem depressivos, têm fama de cortar o próprio pulso, e talvez por isso, não costumam sorrir. Essas pessoas sempre andam em grupos nos shoppings, pois sabem que naquele grupo eles são aceitos. Eles chamam muita atenção devido às suas bizarras, respectivas e repetitivas aparências.

Aposentados e pensionistas do INSS – Pra inveja geral da nação, essas pessoas costumam ir ao shopping segunda de manhã, ou segunda a tarde, (menos a noite, porque são fãs de Jornal Nacional e dão Boa Noite pro William Bonner) e geralmente são aqueles shoppings que tem supermercado, porque aí eles aproveitam pra tomar o café da manhã que tem lá e comprar aquele biscoito maisena que não pode faltar. A maioria que compõe o grupo são pessoas da terceira idade que vão se chocar caso um dia encontrem o grupo emo andando por aí comprando all star.

Madames – São aquelas mulheres que freqüentam aquele salão dentro do shopping pelo menos uma vez por semana, nem que seja só pra lavar o cabelo com Kerastase e fofocar sobre a novela das 8. Aproveitam pra olhar a moda nas vitrines e sempre compram uma blusinha ou um sapato que estavam precisando muito. Elas geralmente vão embora sozinhas e costumam ter muito cuidado na hora de pegar na chave do carro, pois as unhas estão com esmalte fresco.

Estudantes – Pelo menos aqui no Rio, quarta feira o cinema é mais barato. Estudante geralmente já é ferrado de dinheiro e vive reclamando da escola. O que faz com que eles lotem o cinema nas quarta feiras, pagando meia num dia de promoção. Claro, não são todos, a maioria são aqueles que não querem nada, a minoria vai de vez em quando e todos vão nas férias, promovendo filas maiores que as do caixa da C&A em época de natal.

Cults – Cults são aquelas pessoas antenadinhas, que escutam Bjork e não fingem ler Clarice Lispector, marcam com os amigos pra tomar um café e falar mal do capitalismo e também vão às livrarias, escolhem um livro pra ler até metade justamente dentro da livraria naquela parte que tem mesinhas e café (cults adoram café ou mate) e no final das contas não compram o livro que leram, mas compram uns três que geralmente abordam críticas.

Playboys ou playssons – São aqueles que adoram zoar com a cara dos emos. Eles também andam em bando e infelizmente escutam música, ou melhor, “funk neurótico” num volume bem alto e o que é pior, com som distorcido de celular. Eles usam tênis pão-doce e blusa da Quicksilver e tentam azarar as gatinhas na faixa etária de 12-15 anos. Importante ressaltar que eles se chamam de “leks”.

Família – É difícil ver uma família hoje em dia andando junta no shopping por que: os membros do sexo feminino querem ver todas as lojas e promoções, provar todos os vestidos e calças jeans, e os membros do sexo masculino ficam impacientes e isso gera fome, o que faz eles irem ao restaurante mais perto para comer.

Artistas e o pessoal da mídia – Geralmente estes só ficam de 40 minutos à 1 hora no shopping. Pois é o tempo suficiente para irem à lojas boas e grifes e gastar  muitos salários mínimos + muitos tickets-refeição, ou é o tempo suficiente de encontrar amigos num restaurante numa terça feira para almoçar, tipo Carolina Dieckman e Cláudia Gimenez. Também é o tempo suficiente para eles serem fotografados pelos paparazzis e estarem no site ego 15 minutos após saírem do shopping. Obs: não tente encontrá-los no Norte Shopping.

Pessoas que vão ao shopping em dezembro – Como a desigualdade social no nosso país é grande, existem muitas pessoas que possuem baixa renda e só vão ao shopping no final do ano, pois é quando recebem o décimo terceiro. Vão as Casas Bahia comprar sofá novo, compram latas de tinta pra pintar a casa, árvore de natal e pisca-pisca e também compram presentes pra família e o presente do amigo oculto de reveillon.

Casais – Sábado à noite eles costumam fazer filas e lotar o cinema e os restaurantes, pois a maioria não quer ficar em casa vendo Zorra Total e comendo pizza da Sadia. Sábado à tarde eles também vão ao shopping para comprar aquele presente pra prima, sobrinha, tia, sogra, que vai fazer aniversário mais tarde e comemorar na laje com um churrasquinho esperto.

Trabalhadores – Alguns preferem gastar o dinheiro com cerveja sexta à noite, tomando conta dos barzinhos em shoppings e ficando bêbado a ponto de aplaudir aquele cara que ta cantando música ao vivo mal pra caramba. Alguns trabalham tanto que têm pena de gastar muito dinheiro na conta de luz ligando o ar quando está muito quente, aí vão para o shopping aproveitar o ar condicionado de lá.

Acho até que deve existir mais um grupo de pessoa que eu não relatei aqui, mas é isso aí.

BBB e você

Primeiramente quero deixar claro que esse texto não é daqueles que te dá mil e um motivos pra não assistir o programa e mil e dois motivos pra achar que o Bial não deveria ser o apresentador. Eu mesmo assisto, me divirto e até torço, o que eu não faço é ficar votando.

Mas é que é engraçado ver as coisas que acontecem antes, durante e após o BBB.

Uma semana antes do programa eles divulgam a foto dos selecionados e um perfil no site. Aí aquele povo que é fã mesmo, trata logo de fazer uma comunidade no orkut pra cada participante, fora aquela comunidade com o número da edição do programa, que é feita meses antes e tem mais de 500 mil membros antes do programa começar.

Aí o programa começa, e na primeira semana o Brasil julga cada um que está ali dentro, de forma certa ou errada, não importa.

Hoje em dia, com o twitter aflorado, tem gente que faz um perfil só pra cobrir os fatos que acontecem lá dentro, tem gente que fica com raiva e xinga o possível em 140 caracteres, o Boninho posta dizendo o que vai acontecer e desmente boatos, uma ex-BBB é eliminada e em seguida, posta link pirata de PPV, e resumindo, às 22h a timeline do povo fica cheia de #BBB.

Também têm os blogs que são criados por causa do programa, aqueles que levam a sério e fazem textos diariamente tentando entender o psicológico do pessoal que está lá dentro da casa. Têm aqueles que se aproveitam de qualquer pérola dos brothers, tiram foto da dentista com pão no meio do dente, descobrem as roupas bregas que fulaninha usava através do flogão antigo dela e por aí vai. E tem aqueles blogs que fazem o chamado live, com comentários engraçadíssimos bem na hora do programa.

E tem o povo que se descabela, faz a conta do telefone vir mais alta de tanto votar, chora quando o preferido é eliminado, quebra a cabeça pra ver quem é que vai pro paredão e até deixa de sair de noite pra ficar em casa assistindo a casa mais vigiada do Brasil. Também tem a mulher do diretor do programa toda trabalhada na Carmen Steffens e Loreal Paris fazendo sem gracinha o merchan da Ipanema e Nielly Gold. E o Faustão e a Ana Maria Braga, que acabam sendo obrigados a ouvir em seus programas de TV, o pessoal do paredão choramingar “aqui fora”.

E o povo que reclama disso tudo? Diz que é um absurdo, é apelativo, é perda de tempo, é ridículo, influencia as pessoas negativamente e diz que “O Brasil é isso aí, não tem cultura!”. Alguns falam isso em janeiro, e em fevereiro já estão acompanhando, outros falam isso e vão até o fim com o pensamento.

Enfim, respeito mesmo quem não vê, mas não acredito que ninguém perca tempo com outras coisas inúteis, engraçadas e ‘não-cults’ nessa TV brasileira.

Acredito que a questão principal é que as pessoas no geral, até mesmo as que não gostam do programa, curtem tomar conta da vida alheia, é um instinto quase universal. Devemos sempre moderar. E nesse caso nem digo como um mal não, quem assiste ao programa espera por aquele que vai ter as melhores atitudes, ou melhor, as mais coerentes, pra ganhar um milhão e meio.

É de certa forma um reflexo da sociedade, você é observado e julgado o tempo todo e acaba observando, julgando ou tirando conclusões como uma forma de defesa. E da mesma forma que como na ‘vida real’ muita gente exagera nesse quesito, sei que tem muita gente que também exagera na hora de acompanhar um programa de TV, o qual tem o poder de interagir com o público, e sim, acaba ficando bitolado.

Mas voltando… Acaba o programa e somente uma pessoa leva o prêmio, as outras até ganham carro, óculos, tênis, skate, tatuagem, pingüim da Ponto Frio e sei lá mais o que. Creio que nem o Bial que fica com o ouvido doendo de tanto que falam dele, até da meia que ele usa, não chega a ganhar um salário alto assim, será? Então, a Globo volta a passar A Grande Família, Casseta & Planeta, (esse ano teve até Emoções Sertanejas) os exs-BBBs assinam contrato com a Playboy, Paparazzo, Revista Vip e até a Capricho.

Porém, uma coisa é certa, uma hora eles param de fazer presença vip em eventos, o Brasil vai esquecendo até o nome deles e a gente pode até ter se divertido, mas no final o povo checa a conta no banco e está igual, uma pena, né Bial?