“O que te sobra além das coisas casuais?”

Quando escuto essa frase tocar no seqüencial de músicas do Los Hermanos, eu paro. Paro porque me intimida. Não sei se parece muito com a interpretação que deveria ser dada a música como toda, (talvez não mesmo) mas se coisas casuais são rotinas, o que me sobra é criatividade. Ou pelo menos deveria sobrar. Inovar é mágico num mundo em que a correria é monótona e a diferença acaba se tornando sutil.

Advertisements

Simbólico

Nessa flor
A sensibilidade dos sentimentos
Nesse mar
A grandeza de amar
Nesse túnel
Infinitos corações sonhadores
Nessa estrada
Caminhos tortos e perfeitos
Na Areia
Incontáveis descobertas
Nos pássaros
Liberdade
Nessa vida
Flor, mar, túnel, estrada, areia, pássaros

Farol deserto

Ela tirou os chinelos. Molhou os pés na areia com o mesmo cuidado com que segurou seu filho nos braços pela primeira vez. Respirou sozinha o ar da praia. Correu o horizonte com os olhos. Andou beira-mar a sorrir. Sentiu cheiro de algodão doce quando olhou as nuvens. Mergulhou. Encontrou a paz e foi embora sem os chinelos.

Algum meio, um meio

A dúvida já estava sobre o sentar. Sentei. Lá veio ela de novo. Escrever tudo ou metade? Sem dúvidas, conclusão óbvia: Não teria como dividir pensamentos. Sou completa e complicada para conseguir dividir em palavras a metade de algo qualquer que eu já saiba do todo. Então, o único meio que tenho para expressar é o inteiro.
A música que descobri ontem e o momento há três anos atrás que ela me narrou. Superficial se eu citasse só o que a letra da melodia me fez lembrar. O motivo pelo qual veio a memória foi importante: o escutar. E o tal momento é quase um inteiro em mim porque agora, pode-se acrescentar um detalhe: a música. Torna-se o todo, pois o todo é tudo uma mistura.

Memória tímida

Não esqueci apenas do perfume
Porque não blusa, calça, sapato, meia e hora-data pontual?
Tão direto assim
Nem mesmo o último encontro

Aprendizado

Tantos e quantos caminhos por todos os lados
Porquês e pontos finais falhados
O que seria a bússola em meio a esse teu barco
Cercado de mar e sem chão?

Pise em terra firme
Na esperança de não ter deixado nenhum sonho pela água que se foi
A metade nunca é um completo
É melhor que se perceba
Nada é em vão

Ciclo

Deixa a criança brincar
Que se suje
Deixa o menino jogar bola
Que se machuque
Deixe o rapaz se divertir
Mas que tenha cuidado
Deixe o homem trabalhar em paz
Até que um dia ele lembre que o deixaram brincar, jogar bola e se divertir
E que ele se permita deixar um alguém se sujar, se machucar e dizer que tenha cuidado
E aprender então a amar

Amnésia

Eu já não lembro mais do que eu não quero lembrar só pelo fato da lembrança querer ser esquecida em mim. A minha mente é esperta quando entende o coração.

(In)finito

O fim impede o sempre
O começo impulsiona
A permanência cumpre

Longe e perto

Se olhar estrela faz sonhar
Olhar a grandeza interior pode fazer realizar
Se o mar não foge ao me ver passar
O infinito ao meu lado quer estar

Quando fiz uma promessa e olhei para frente
Vi uma estrada gigante
E a vontade de alcançar o fim…
É como a de querer ter a estrela que olhei